The Warsaw Pakt, nas entrelinhas da história do punk…

O The Warsaw Pakt entrou para a história do rock como a banda que fez Ian Curtis e seus amigos mudarem o nome do grupo de Warsaw para Joy Division. Entretanto, o grupo londrino não chegou a um ano de duração, enquanto o ex-Warsaw… bom, todo mundo sabe!

Nas entrelinhas, porém, o Warsaw Pakt tem muito mais história para contar, além dessa curiosidade. Uma delas, é que o único álbum que lançaram, Needle Time, foi o primeiro disco de rock a ser gravado em um processo revolucionário para a época.

Tudo foi feito em 21 horas, desde a gravação até o vinil chegar às lojas. Não tenho muita certeza, mas o fato até entrou para o Guiness Book. Na verdade, eles foram cobaias da Island Records para uma experiência de gravar diretamente para o acetato, sem qualquer tipo de mixagem ou remasterização (se você não conhece o processo de fabricação de um vinil, sugiro este vídeo). Era um teste para lançar discos ao vivo 24 horas depois do show.

warsaw3

Não sei o que virou a experiência depois, mas o Warsaw Pakt não foi muito beneficiado. Apesar de o LP ter vendido cinco mil cópias em uma semana, a Island não quis fazer outra prensagem e nem contratar a banda, além de destruir a fita master da gravação. Sem explicar nada para o grupo. Isso fez com que o disco se tornasse uma raridade muito rapidamente.

No Brasil, vi uma cópia apenas (que, infelizmente não era minha). Por essas e outras, tenho certeza que a tal indústria fonográfica tem mesmo é que se foder. Usaram e abusaram do poder para lançar um monte de merda e, ao mesmo tempo, acabar com o sonho de inúmeras boas bandas.

O pacto dos pubs

A história dos caras começou mesmo em 1975, quando o guitarrista Andy Colquhoun se juntou ao The Rockets, um grupo do circuito pub rock de Londres que tocava mais covers do que músicas próprias. A banda chegou a ficar conhecida no underground londrino, mas não resistiu às constantes mudanças na formação.

warsaw
O The Rockets (1975) está na origem do Warssaw Pakt

Em 77, as coisas não iam bem para e Andy, juntamente com o vocalista Jimmy Coull e o guitarrista John Manly, resolveu deixar o grupo e formar o Warsaw Pakt. O baixista era Chris Underhill e no início o batera foi Wolf Marlander, mas este ficou por pouco tempo e foi substituído por Lucas Fox. Esta foi a formação que fez a história do Warsaw Pakt.

Depois da experiência do “LP mais rápido do mundo”, eles ainda lançaram um compacto com as faixas Safe and warm e Sick’n’tired e fizeram vários shows, inclusive abrindo para o The Clash e o Damned. Mas em março de 1978, o grupo se dissolveu.

Em 1979, ex-integrantes do grupo juntaram forças e lançaram uma fita cassete com gravações raras, chamada See you in court, mas o Warsaw Pakt tornou-se mesmo “a banda que fez o Warsaw virar Joy Division”, e bem pouco conhecida pelo som que faziam. Talvez, no fundo, foi apenas um teste…

 

Para conhecer conhecer melhor esta lenda do punk rock baixe aqui o álbum Needle Time e aqui Warsaw Pakt – See You In Court K7

Curiosidades

  • Stewart Copeland tocou em alguns shows com o The Rockets e quando o Warsaw Pakt estava começando convidou Andy Colquhoun para conhecer o vocalista de uma banda que ele estava formando. Andy teria se recusado a juntar-se ao grupo. O vocalista era um tal Sting e a banda, o The Police.
  • Antes de tocar com o Warsaw Pakt, Lucas Fox foi batera da primeira formação do Motörhead, inclusive, tocou em algumas faixas do primeiro álbum de Lemmy e cia. Nos anos 80, foi baterista do Sisterhood, banda criada por Andrew Eldritch após ter saído do Sisters of Mercy. Atualmente, trabalha como produtor.
  • Depois do fim do The Warsaw Pakt, Andy Colquhoun integrou o Tanz Der Youth, grupo pos-punk de Brian James, guitarrista dos dois primeiros LPs do Damned. Andy tocou ainda com o ex-MC5 Wayne Kramer e juntou-se ao Pink Fairies, influente banda dos anos 70, considerada por muitos como “proto-punk”, inclusive, está na linha de frente do excelente álbum Naked Radio, o primeiro de inéditas do Fairies após 30 anos.
  • Andy juntou-se ainda ao The Deviants, do excêntrico vocalista Mick Farren. Em 2013, porém, Farren sofreu um ataque cardíaco e morreu durante uma apresentação do grupo, em pleno palco. Coulquhoun continua no Pink Fairies e ainda lançou um álbum solo em CD e DVD, chamado String Theory.
  • O vocalista Jimmy Coull se juntou ao obscuro The Argonauts e depois se retirou do cenário musical. Os demais ex-integrantes do grupo parece terem se retirado do mundo da música.

Sua opinião é importante

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s