Big Balls & The Great White Idiot, o “factor-zero” do punk alemão

“Die muzik is tot – es lebe der punk!!!” A frase, em alemão, pode ser traduzida por “a música está morta – o Punk está vivo”. Era com estas palavras que o vocalista Baron Adolf Kaiser costumava abrir os primeiros shows do Big Balls & The Great White Idiot. O grupo pde ser considerado o “factor zero” do punk alemão. Criado em 1975, sob forte influência de Stooges, MC5 e New York Dolls, o grupo que já tinha uma postura agressiva, radicalizou um pouco mais após ver o furacão Sex Pistols, em 1976.

bigballsA formação original, além de Adolf, tinha o guitarrista Wolfgang Lorenz e os irmãos Grund: Peter, Alfred e Atli, respectivamente, baterista, baixista e guitarrista. A conotação nazista do nome do vocalista não é mera coincidência. Politicamente incorretos, a intenção do Big Balls era confrontar a sociedade germânica da época. O que pode ser facilmente percebido pelas letras do grupo. Uma delas, do primeiro álbum, tem o inocente título de (I’m singing to you) with my fingers in your ass.

Na realidade, não eram nazistas militantes, tratava-se mesmo de provocação, que nos shows era levada ao extremo com a banda chamando a platéia para a briga e gritando  para que todos fossem para casa. Em uma resenha sobre a apresentação da banda, o fanzine Punk News descreveu a apresentação como “medíocre e feia”. Era o que queriam. Caos, anarquia, rebelião, rock’n’roll. Punk Rock!

O primeiro LP, todo em inglês, com o nome da banda, foi lançado em 77. Além de 14 músicas próprias, contava com uma versão de Anarchy in the UK (Anarchy in Germany), Search and Destroy (Stooges) e White Light, White Heat (Velvet Underground). O segundo LP, Foolish Guys, lançado em 78 já mostra uma banda mais polida, experimental e comercial em algumas faixas. Foi o primeiro de uma série de álbuns que afastou a banda de suas raízes punks.bigballs3

Depois desses dois discos, o Big Balls ainda lançaria outros quatro: Artikel 1 – Dignity of manCreepy shadesIn search for love The big waltz (este, na verdade uma trilha sonora). A partir dos anos 80, o grupo passou a flertar com teatro e outras formas de arte. Nunca abandonaram o sarcasmo e o humor satírico dos primeiros tempos, mas distanciaram-se do que se tornou o punk rock.

Baixe aqui o histórico (e pesado) primeiro LP do Big Balls & The Great White Idiot

Curiosidades

  • A banda foi fundada, de fato, pelos irmãos Grund. Apesar de chamar muito a atenção, Baron Adolf Kaiser participou apenas do primeiro LP. No segundo, o grupo já era um quarteto, com Alfred nos vocais.

  • Os dois primeiros LPs foram lançados pelo selo Teldec, associado à Decca Records. Os demais discos saíram pelo selo Balls Records, de propriedade da banda.

  • No teatro, participaram da montagem de peças como Medeia, de Eurípedes, que recebeu diversos prêmios na Alemanha. Mas o grande passo nessa área foi quando fundaram uma companhia independente, chamada Babylon, junto com a diretora Barbara Bilabel, bastante conhecida por lá.

  • No início dos anos 90 eles voltaram-se de novo para o mundo da música e construíram seu próprio estúdio, em Hamburgo, e reativaram o selo Balls Records. Entre os artistas que produziram, o D-Base 5, um grupo de crossover, foi o que mais se destacou.

  • Em 97, fizeram a trilha sonora do filme Die Mutter des Killers, que alcançou relativo sucesso nos cinemas e na TV germânica.

Sua opinião é importante

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s