Rude Kids, a lenda nórdica punk-hardcore

Os países nórdicos sempre foram lar de algumas das bandas mais nervosas da história do punk. Já fiz posts sobre os finlandeses Briard e Lama. Outro grupo importante vindo do gelo é o sueco Rude Kids, criado em 1978 no bairro suburbano de Hagsätra, em Estocolmo por Lasse “Throw-It” Persson (bateria), Lasse Olsson (guitarra), Ola “Spaceman” Nilsson (baixo) e Bjorn “Böna” Eriksson (vocal).

Antes do Rude Kids, Persson e Ola já tinham uma banda chamada Loud Noize, que tocava covers de hard rock, porém, praticamente apenas ensaiavam. No entanto, como a história é cíclica, em 77, os dois amigos fizeram algumas viagens a Inglaterra e lá assistiram Ramones, Sex Pistols, The Jam e The Boys.

rude-kids_live_950Não deu outra: descobriram o som que realmente queriam fazer. Então deram fim ao Loud Noize, chamaram Olsson e começaram o Rude Kides, inicialmente sem Böna. Depois que a formação ficou completa, ensaiaram por uns cinco meses e conseguiram dinheiro emprestado para gravar duas músicas (Raggare is a Bunch of Motherfuckers Charlie).

De início, o single seria lançado em um esquema DIY. Mas o técnico do estúdio achou que o som ficou tão bom que os convenceu a procurarem uma gravadora, que poderia distribuir melhor a pequena bolacha. Ofereceram à EMI, que recusou, mas a Polydor (que, diga-se de passagem, foi a major que mais entendeu o fenômeno punk, apesar de também estar interessada somente no lucro) viu qualidade no trabalho e aceitou lançar as duas faixas.

rudekidsepE se deu bem, pois o vinil atingiu a casa de cinco mil cópias vendidas, número equivalente ao que vendia, por exemplo, um compacto do Sham 69 na Suécia. Na Inglaterra, o NME classificou o disco como “single da semana”, o que era bastante representativo na época, especialmente por ser uma banda estrangeira. Com isso, o Rude Kids foi a primeira banda punk sueca a assinar um contrato com uma grande gravadora.

O segundo single foi gravado ainda em 78. A música escolhida para o lado A foi Stranglers (if it’s quiet why don’t you play), uma resposta à banda inglesa que lançara uma música criticando a cena musical sueca (Sweden all quiet in the eastern front). Na letra questionam porque o Stranglers não fazia uma tour pela Suécia para agitar a cena local. No lado B, muito antes do Exploited proclamar o mantra Punk’s not dead, Böna e seus amigos gritavam Punk Will Never Die!.

Apesar de não soar tão pesado como o anterior, o segundo single também foi bem recebido. Já em 1979, saiu o terceiro single, Absolute Ruler, um manifesto contra o monopólio da mídia sueca (é, por lá também tem dessas coisas!). No mesmo ano, sai o hoje raríssimo LP Safe SocietyUm grande disco! Se o Middle Class é pioneiro do hardcore no lado de lá do Atlântico, o Rude Kids é sério candidato a primeira banda a gravar um álbum de HC no Velho Mundo.

A Polydor, porém, já em crise financeira na Suécia, não deu apoio na divulgação e ainda cancelou o contrato com a banda. Foi um balde de água fria, porém, o Rude Kids decidiu tocar ao barco, entretanto, decidiram buscar outros rumos musicais. O grupo ainda lançou três singles pela independente Sonet, com uma pegada mais pop. Nessa época, a banda passou a contar com um segundo guitarrista, Nils “Hisse” Halström, e a tecladista Janne Lundberg.

rudekids_live_mmEm 1983, Böna morreu em um acidente de carro. O grupo tentou continuar com vários vocalistas diferentes, mas na verdade havia perdido o espírito que o movia e, em 1987, acabou definitivamente. Ficaram “esquecidos” por muito tempo até que em 1998 a Distortion Records compilou um CD com 22 músicas, incluindo os primeiros compactos e o álbum quase inteiro. Uma lenda nórdica do punk e do hardcore.

Baixe aqui The Worst of Rude Kids (incluí no arquivo Charlie, lado B do primeiro single, que não faz parte do CD). Aqui tem o incrível álbum Safe Society

Curiosidades

  • Böna em sueco quer dizer “feijão”.
  • Raggare é uma espécie de “teddy boy” sueco. Uma tribo de loucos que ouvem rockabilly, cultuam carros americanos estilo rabo-de-peixe e são briguentos. O conflito de gangs “raggares” e punks nos anos 70 e 80 era constante e até hoje há rusgas.
  • O estúdio em que o Rude Kids gravou Raggare is a bunch of motherfuckers é o mesmo em que o Docent Död, outra banda pioneira da cena sueca, gravou seu primeiro single, apesar das duas bandas não se conhecerem na época.
  • Em alguns shows pelo interior da Suécia, onde os raggares dominavam, o Rude Kids foi impedido de tocar pela polícia, ante às ameaças de confusão.
  • Quando tocaram na Inglaterra, também envolveram-se em confusão. Escalados para o show de abertura do Madness, se viram diante de uma platéia 90% composta de skinheads. Então, Lasse subiu ao palco com uma camiseta escrito “Rock Against Racism”. Foi a conta de começarem a tocar e as cadeiras a voar. No final, fizeram apenas três músicas e tiveram de dar área.

RudeKids_pic

Sua opinião é importante

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s