The Wall, incompreensivelmente subestimado

Na sequência da série “Grandes Bandas Incompreensivelmente Não Reconhecidas”, o Factor Zero fala hoje do The Wall, grupo de Sunderland, cidade de cerca de 300 mil habitantes no noroeste da Inglaterra e mais famosa pelo time de futebol local. É também a terra natal do Toy Dolls.

Mas, com certeza, a melhor banda punk que já apareceu por lá foi o The Wall. O grupo foi em 1978 pelo guitarrista e vocalista Ian Lowery, ao qual se juntaram o baixista e vocalista Andy “Heed” Griffiths, o guitarrista John Hammond e o baterista Bruce Archibald.

wallo_1980O primeiro single, New Way, foi lançado em 1979 . Uma verdadeira pérola do punk britânico, com três músicas: a que dá título à bolacha, mais Suckers e Uniforms. O disco, pela Small Wonder, na época um dos mais importantes selos independentes do Reino Unido, foi muito bem e Sunderland ficou pequena para o Wall, que mudou-se então pra Londres. Aí começou uma sucessão de mudanças na formação. A primeira foram as saídas de Hammond e Archibald, substituídos, respectivamente por Nick Ward e Rab Fae Beith.

No mesmo ano, lançaram mais um compacto, ainda melhor que o primeiro e produzido pelo ex-Sex Pistol Steve Jones, com as faixas Exchange e Kiss the mirror (clássica, clássica!)Depois deste compacto, Ian Lowery deixou o grupo pelas eternas diferenças musicais. Apesar de ter sido fundador da banda, foi sumariamente despedido por querer fazer um som mais trabalhado!

Para a vaga de Lowery foi recrutado Ivan Kelly, ex-Ruefrex. Essa nova formação começou com o excelente EP Ghetto, produzido por Jimmy Pursey. Em 1980, enfim sai o primeiro LP, Personal Troubles & Public Issues, também com produção do vocalista do Sham 69. No LP, a banda tornou-se um quinteto com a adição de Andy “Andzy” Forbes, ex-guitarrista do Straps, outra banda clássica da época.wall_pic3

Pouco depois do lançamento do primeiro álbum, Ward e Kelly debandaram e o The Wall passou a ser um trio, com Rab na bateria, Heed na guitarra e Andzy no baixo e no vocal. Com essa formação excursionaram com o Stiff Little Fingers e tornaram-se bastante conhecidos na época.

Depois da tour, a baixista Claire Bidwell, ex-The Passions, assumiu o contrabaixo e Andzy passou a ser apenas vocalista. O quarteto gravou o segundo LP, Dirges & Anthens, pela Polydor, em 1982. Neste disco aparece também um guitarrista chamado Bazz. No mesmo ano lançam ainda o LP Day Tripper, acompanhado de um compacto de 7″, com mais quatro músicas. Foram os últimos registros da banda em vinil. Em 1983, o grupo acabou.

wall1a

O interessante é que apesar de tantas mudanças na formação, tudo o que o The Wall gravou é de ótima qualidade. Punk rock bem tocado, com letras politizadas e muita criatividade. No entanto, nos dois últimos álbuns há faixas com pegada mais pop ou comercial. Todos estes discos são bastante raros e não saíram em CD. Em 2005, a Captain Oi Records, um selo que tem resgatado pérolas dos anos 70 e 80, reuniu os compactos (menos os da Polydor) na coletânea Punk Collection, com 20 faixas de todas as fases do The Wall.

Baixe aqui os singles. Os álbuns estão nos links a seguir Personal Troubles & Public IssuesDirges & AnthensDay Tripper

 

Curiosidades

  • Depois do WALL, Ian Lowery formou o Ski Patrol, uma das mais respeitadas e lendárias bandas pos-punk da Inglaterra. O baterista Bruce Archibald também participou do início desta banda, mas a deixou para estudar. Após o Ski Patrol, Lowery se juntou ao The Folk Devils, de 82 a 87. Depois disso, formou o King Blank, com o qual fez algum sucesso no Reino Unido. A partir de 89, iniciou carreira solo e lançou o álbum King Blank. Participou ainda de várias nadas, porém, faleceu em 2001 . Em 2014, a Spectable Records lançou duas coletâneas (Get Out The Sun e Ironic) com material gravado na última década de vida de Lowery. 
  • Antes do WALL, Rab Fae Beith fez parte do The Pack, banda que originou o tenebroso Theatre of Hate. Depois, tocou com o UK Subs nos discos Huntington Beach In Action, dos quais também foi o produtor. A,bos os álbuns saíram por seu selo, a RFB Records. Huntington Beach foi o único LP (vinil) dos Subs lançado no Brasil.
  • Em 2007, sete ex-integrantes do grupo se reuniram para um revival no Blackpool Rebellion Festival.

Um comentário sobre “The Wall, incompreensivelmente subestimado

  1. Daniel Aires disse:

    Mais uma Belo TEXTO! Se não me engano, Rab Fae Beith era o dono da Small Wonder records. Tenho uma coletânea da gravadora boa; Ménace , The Wall, Carpettes, The Cravats, Cockney Rejects, Demom Preacher, Puncture entre outras muito boas

    Curtir

Sua opinião é importante

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s